terça-feira, 12 de julho de 2016

TEOLOGIA DE UMBANDA E SUAS DIMENSÕES (Ademir Barbosa Júnior)



LIVRO DE TEOLOGIA DE UMBANDA ABORDA TEMAS POLÊMICOS
Aborto, eutanásia, embriões congelados, experiências com animais e suicídio são alguns dos temas de Bioética abordados pelo autor
“Teologia de Umbanda e suas dimensões” (Editora Anúbis, 239 páginas) é um dos 07 lançamentos 2016 de Ademir Barbosa Júnior (Dermes), autor com mais de 60 livros publicados, 03 deles em Portugal. 
Com linguagem simples e acessível, o livro aborda as múltiplas dimensões da teologia de Umbanda, como histórico, conjunto comum de crenças, diversidade, divindade, sagrado, liturgia, ecologia, dialética e diálogo interreligioso. Contudo, o destaque é para os temas de Bioética, pela primeira vez abordados num livro umbandista.
“A Umbanda é uma religião diversificada”, explica o autor. “Nosso livro sagrado é a natureza, não temos outro. Porém, os livros são importantes para o umbandista e a sociedade compreenderem, sem preconceitos, o que propõe a nossa religião. O próprio umbandista, muitas vezes, se furta à responsabilidade de pensar sobre temas polêmicos.”
Segundo Dermes, uma religião só pode propor o bem e respeitar o livre-arbítrio. “A Umbanda preza a vida. Se, por um lado, algumas práticas não condizem com a religião, por outro, não se deve condenar ninguém, mas acolher e respeitar.” Nesse contexto, o livro, por exemplo, assim se posiciona a respeito da eutanásia e do suicídio:
“A Umbanda, em virtude da Lei da Reencarnação como oportunidade de crescimento em todas as esferas, desaprova a eutanásia, propondo que cada enfermo seja confortado da melhor maneira possível física, emocional e espiritualmente. Entretanto jamais condenará/ recriminará o (a) irmão (ã) que deseja valer-se da eutanásia ou suicídio assistido. Em palavras simples, desaprova a prática, mas não condena quem a pratica ou exclui quem a aplica.
O mesmo raciocínio vale para o suicídio em âmbito geral. A Umbanda não o aprova pelas mesmas razões, de modo especial porque a vida é dom divino e cada encarnação, oportunidade de aprendizado e recomeço. Entretanto, jamais condenará o (a) suicida, negando-lhe, por exemplo, ritual fúnebre, enterro em campo santo etc. ou fechará as portas para quem o (a) assista. “(p. 181)
O livro, disponível nas livrarias a partir da primeira quinzena de junho, é dedicado a sua esposa, Mãe Karol de Iansã, a seus filhos e aos teólogos católicos, “os irmãos Leonardo Boff (espírito franciscano pulsando em toda parte) e Frei Betto (interlocutor sempre presente, fisicamente perto ou a distância), na certeza de que não existe Teologia bafejada pelo Espírito que não seja de e para a Libertação, em todos os níveis. Abraço, gratidão e Axé!”
Ademir Barbosa Júnior (Pai Dermes de Xangô) é umbandista, escritor, pesquisador e sacerdote, filho da Tenda de Umbanda Iansã Matamba e Caboclo Jiboia (TUIMCAJ), dirigida por sua esposa, a escritora e blogueira Mãe Karol Souza Barbosa. Mestre em Literatura Brasileira pela USP, onde também se graduou em Letras, é professor, tradutor, revisor, terapeuta holístico, trabalhando principalmente com Reiki (do qual é Mestre), Tarô de Marselha, Baralho Cigano e Numerologia. Apresenta o programa “Deixa a gira girar! Umbanda em foco” na rádio Sensorial FM (www.sensorialfm.com.br). Já produziu diversos curtas-metragens com a temática dos Orixás e coordenou fóruns, eventos, festas públicas e outros, congregando Umbanda, Candomblé, Pastoral Afro (Igreja Católica), MPB, Ioga, Dança do Ventre e outros segmentos. É presidente da Associação Brasileira de Escritores Afro-religiosos (Abeafro). Nasceu em Piracicaba – SP, no dia 02 de agosto de 1972. Tem percorrido terreiros, instituições e participado de fóruns, inclusive virtuais, gratuitamente, com as palestras “A Umbanda e a Espiritualidade no Terceiro Milênio” e “Teologia de Umbanda e suas dimensões”, em companhia de Mãe Karol, que ministra, também gratuitamente, dentre outras, a palestra “Exus e Pombogiras – Agentes de Luz nas Trevas”. Pai Pequeno da TUIMCAJ, prepara-se para sua deitada de Pai Maior, ainda em 2016.

Por: Ademir Barbosa Júnior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário