domingo, 18 de setembro de 2016

RITUAIS DE UMBANDA (Evandro Mendonça)



Rituais, é o nome que nós Umbandistas damos a vários tipos de magias que usamos em nós mesmos e no mundo inteiro, com o intuito de ajudar, mudar e melhorar cada vez mais a nossa estadia nesse planeta. Para isso, usamos na maioria das vezes, de meios e rituais espirituais que ainda não podem ser explicados pela ciência, e na maioria das vezes não aceito pela sociedade. Entre eles estão os rituais do fogo, da água, da terra, do ar, das plantas, das oferendas, das cores, dos sons, dos perfumes, cristais etc., que são os principais rituais praticados dentro da Religião de Umbanda e sua Linha de Esquerda. Para muitas pessoas leigas no assunto, esses rituais ainda são mágicos porque o modo como eles realmente funcionam é incompreensível para a maioria dos usuários. Eles têm a força de fazer com que as mudanças aconteçam, de acordo com a nossa vontade e merecimento, é a força consciente e inconsciente da imaginação e da total concentração na causa ou objetivo desejado. Se observarmos e analisarmos os rituais de inúmeras religiões existentes nesse planeta, encontraremos neles um sentido comum, o de invocar forças espirituais, forças da natureza, entidades, guias, mentores, protetores e etc. O objetivo é o mesmo, preparação, atração dessas forças à concepção da corrente religiosa que a pratica. Muitos dos rituais e magias praticados por leigos ou médiuns, são universais, até mesmo porque, não existe uma única cultura ou sociedade nesse planeta que não pratique algum tipo de ritual ou magia. Todos eles têm seus gurus, xamãs, bruxas, adivinhos, feiticeiros, curandeiros, benzedeiros, padres, pastores, caciques, babalorixás, mestres e etc., e todos eles possuem seus vários instrumentos mágicos como, altares, bastão, varinha mágica, cajado, bola de cristal, espada, facas, búzios, guias, pêndulos, cartas ciganas, tarô e etc. Em certas mãos, esses instrumentos não passam de acessórios comuns, sem valor algum, mais se forem devidamente fabricados, preparados e consagrados, esses instrumentos se tornam grandes reservatórios de energias que podem ser adaptadas, usadas e manipuladas pelos seus portadores, com algum tipo de ritual.Grandes partes desses rituais, praticados dentro da religião de umbanda e sua linha de esquerda, estão relacionados a algum tipo de manipulação de energias positivas ou negativas, magias ou feitiços, que tanto podem ser para o bem como para o mal. Esses rituais de feitiços, magias, encantamentos e etc., nada mais são do que um ato organizado, projetado, lançado e realizado para alterar as probabilidades na direção desejada; ou seja, simplesmente tentar fazer, que algo seja mais ou menos provável de acontecer. A maioria desses rituais, são maneiras ou modos usados para atrair, repulsar, dispersar, concentrar, condensar, manipular e reconhecer nossas energias positivas e negativas. É certíssimo, que em qualquer ritual, do mais bárbaro ao mais espiritualizado, encontraremos sempre, impulsionando sua tendência, os atos e as práticas que devem predispor o indivíduo a harmonizar-se com o objetivo invocado ou desejado, isto é, procurar pô-lo em relação mental com os deuses, orixás, entidades, divindades, forças da natureza, guias, protetores e etc. Até mesmo durante o dia e a noite todos nós realizamos certos tipos de rituais, alguns conscientes e outros inconscientes, mas que influenciam nossas atitudes diárias e principalmente nossas vidas. Portanto, devemos ter o máximo de cuidado na hora de realizar qualquer tipo de ritual, seja ele de Umbanda ou de outra religião qualquer. Temos que saber e ter certeza, para que servirá o ritual, ou seja, o que quero influenciar, quem vai participar do mesmo, onde vou realizá-lo, o que vou usar de materiais e ingredientes, quando vou realizá-lo, que tempo vou precisar para realizá-lo, que tipo de firmeza devo fazer antes de realizá-lo, que roupa vou vestir para realizá-lo, etc., tudo isso para que o ritual que você vai realizar seja de sucesso e não lhe cause problema algum depois da sua realização. Esses tipos de rituais sempre foram conhecidos, desde as mais remotas épocas e antiguidades, e eram como são atualmente, praticados, invocados e realizados, obedecendo a certas regras, conhecimentos, controles, cuidados, fundamentos, sistemas, maneiras de realizá-los e etc. Deu-se, por imposição natural das leis, que não se revelam nunca de uma só vez, a parte que se tornou mais conhecida, lida e propagada, é a que ficou marcada pelo nome de espiritismo, que reviveu como imperativo dos tempos que se aproximavam e veio preparar e abrir em sua época um campo espiritual à humanidade, semeando as primeiras manifestações de uma lei, através destes mesmos e variados rituais, inerentes a um dom universal que, repetimos, era conhecido e usado desde as épocas mais primitivas. Mas, poucos sabem que esses rituais foram, são e sempre serão, regidos por uma lei que sempre se chamou, que a chamamos e sempre chamaremos Umbanda. Portanto, dentro da religião de Umbanda, ter conhecimento dessas leis, forças, rituais e etc., significa poder. Mas, também devemos saber que na prática da religião de Umbanda, invocar uma entidade, mentor, caboclo, guia, mensageiro ou protetor do astral para fazer um pedido de ajuda, é bem diferente de magia negra, onde se conjura um espírito qualquer para trabalhar para você com fins malignos e lucrativos. E se você acha que vai pagar esse tipo de trabalho prestado com migalhas, você é muito inocente, ingênuo ou sem noção alguma de conhecimentos religiosos, astrais ou espirituais, por isso, tome muito cuidado, pois poderá se endividar por milhões de anos, caso use desses meios e artifícios. Esses tipos de trabalhos, conjuros ou rituais não da para provar, testar, experimentar, ou você faz direito e com conhecimentos no assunto ou não faz, porque é muito perigoso e pode ter um resultado fatal. Por isso, conhecimentos desse tipo jamais devemos passar sem saber realmente para quem, e se a pessoa é bastante segura de si para ter e carregar consigo no dia a dia esse tipo de conhecimento. Conjurar espíritos para transferir energias malignas para um ser humano qualquer, e pagar com quinquilharias, ou pequenas oferendas ou rituais, é muito errado e perigoso, você pode ficar devedor milhões de anos à frente para esse espírito, muitas vezes se passando ou dizendo-se “Exu” ou “Pomba-Gira”. Por esse motivo, você deve estudar bem o assunto para saber com o que, e com quem você está lidando, porque você, não pode simplesmente fazer e depois desfazer sem que nada aconteça. A cobrança é certa e você jamais vai conseguir iludir, driblar, enganar ou controlar um espírito que está do outro lado, que vê e sabe de tudo a seu respeito. Você não conseguirá controlá-lo e a consequência é certa, porque dependendo de onde ele se encontra pode até se fazer de tonto, mas não é, e ele é mais esperto do que você e conhece todos os seus pontos fracos e o manipula para fazer cada vez mais esse tipo de trabalho, oferenda, ritual ou conjuração e quanto mais você faz negócios com ele, mais endividado você fica. Caindo que nem um patinho, bobo. Dei essa pincelada nesse assunto, para vocês saberem a diferença entre Umbanda e linha de esquerda, e o que muitos chamam de magia negra.Sei, que muitos dos rituais aqui expostos e citados nessa Obra, entraram em choque com ideias mais ou menos afins, entre outros praticantes e pesquisadores da religião de Umbanda e sua Linha de Esquerda. Mas, gostaria de deixar claro, que respeito essas ideias contrarias, e que também julgo ter o direito de expor meus pensamentos e ideias, os quais se baseiam nos meus Orixás, guias e protetores e também em muitos anos de experiência como Cacique de terreiro na religião de Umbanda e Babalorixá na Nação Africana. Como é de meu costume, e não me importando com o que os outros falam em relação as minhas obras, tentarei explicar nessa obra e como fiz em outras, o máximo possível, nem que para isso tenha que ser bastante repetitivo nas palavras, pois acredito que um ritual, trabalho, oferenda, magia etc., de Umbanda e Linha de Esquerda, bem feito e com cuidados nos mínimos detalhes, com certeza terá mais chances de dar certo e atingir o objetivo desejado. Além também, de estar pensando não só nas pessoas com um pouco mais de cultura, mas também nas menos favorecidas em termos culturais. São rituais bem simples e fáceis de fazer, e que só vem a somar àqueles médiuns ou terreiros iniciantes, que querem e fazem uma Umbanda com amor e respeito, principalmente os seus rituais antigos e sem invencionices. A você amigo leitor que adquiriu essa Obra, gostaria de explicar-lhe que Rituais de Umbanda é uma junção de vários e antigos rituais de Umbanda, inclusive, alguns já existentes no livro “As Magias de São Cosme e Damião”, também de minha autoria. O motivo que me levou a fazer isso, foi que muitos leitores me pediam vários rituais, como cruzamentos, reforços, batizados, etc., que já se encontravam na Obra “As Magias de São Cosme e Damião”, que talvez pelo nome do título, muitos acabavam não adquirindo achando que só encontrariam coisas sobre Cosme e Damião. Resumindo, é uma obra nova com conteúdo e título novo, para melhor ser assimilado, onde você irá encontrar “As Magias de São Cosme e Damião” revisado e ampliado. Obra, que não será mais impressa individualmente, pelos motivos já citados acima. Um abraço fraterno a você, meu leitor, com muito carinho.

Por: Evandro Mendonça

Nenhum comentário:

Postar um comentário