segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

ZÉ PELINTRA (Mizael Vaz)




Com a chegada dos grileiros de terras no Estado de Pernambuco, surge o coronel Silva, um militar respeitado por ter lutado na última fase da Guerra do Paraguai, no ataque em 1º de março de 1870 a Francisco Solano Lopes, o ditador paraguaio em seu último reduto: Cerro Corá. O obstinado abolicionista passou a ocupar uma imensa fazenda próxima à vila de Garanhuns, onde, em 1886, surge a história de José Porfírio Santiago, que posteriormente – com o seu desencarne e passando por várias etapas da sua vida espiritual – ganhou ascensão e hoje, no mundo espiritual, é um mestre do catimbó. Em consideração a tantos admiradores, fãs, filhos e afilhados, Sêo Zé Pelintra nos conta detalhes da sua história, tanto no plano físico quanto na espiritualidade. Na parte final do livro, o autor inseriu algumas simpatias e “receitas” de Sêo Zé Pelintra, também chamado de “Sêo Dotô” – pelo fato de ele ter sido considerado um grande curandeiro de sua época. Conheça a história de uma das entidades mais tradicionais do mundo dos terreiros.

Por: Madras Editora

Nenhum comentário:

Postar um comentário